• A biblioteca em Arvika causou surpresa entre os frequentadores ao oferecer cursos no idioma árabe. Muitos suecos se perguntaram se não seria mais profícuo oferecer cursos em sueco aos imigrantes de língua árabe. A biblioteca, no entanto, não oferece nenhum curso desses.

  • O Serviço de Imigração divulgou um novo relatório em 8 de abril intitulado: "Você é Casado?", que mostra como seus próprios funcionários permitem casamentos infantis.

  • Ainda assim, de acordo com a revelação do professor de direito Göran Lind em 4 de abril, as autoridades suecas ratificaram centenas de casamentos poligâmicos entre imigrantes.

  • Um candidato a asilo foi detido em 23 de abril, entre outras coisas, por desferir pontapés na cabeça da esposa. De acordo com a polícia, o homem ficou furioso porque ela estava estudando sueco.

Abril foi o mês em que os escândalos islamistas do Partido Verde (Miljöpartiet) foram aparecendo um atrás do outro. O Partido Verde faz parte da coalizão do governo sueco juntamente com os sociais-democratas (Socialdemokraterna). A coalizão ficou conhecida como partido que vê com bons olhos a política de fronteiras abertas e com um amor apaixonado pelo multiculturalismo. É exatamente por causa dessas paixões cegas que o partido vem sendo um perfeito candidato para a infiltração islamista. Dentro do Partido Verde, ousar levantar a questão se os muçulmanos consideraram o Islã como uma força política é visto como grosseria e "islamofobia".

Em 17 de abril: o Ministro da Habitação Mehmet Kaplan foi obrigado a renunciar depois que foi veiculado que ele não só se relacionava com islamistas e fascistas como também comparava o tratamento dado por Israel aos palestinos com o tratamento dispensado pela Alemanha Nazista aos judeus.

20 de abril: o aspirante a membro executivo do Partido Verde , Yasri Khan se recusou a apertar a mão da repórter Ann Tiberg, de uma rede de TV , causando espanto, sendo forçado a renunciar.

22 de abril: o acadêmico Lars Nicander da Universidade da Defesa Sueca alertou que o Partido Verde pode ter sido infiltrado por islamistas: "é óbvio que eles estão procurando se infiltrar e alçar a posições de confiança", disse Nicander ao diário Aftonbladet.

Anders Wallner, secretário do Partido Verde fez os seguintes comentários em relação às observações de Nicander:

"O que está sendo apresentado por Lars Nicander é coisa para se levar muito a sério. Não há espaço para extremismo em nosso partido, isso já foi deixado bem claro pelos nossos porta-vozes".

23 de abril: Semanur Taskin, porta-voz da Juventude Verde (ala jovem do Partido Verde) em Estocolmo, decidiu abandonar a política. Como muçulmana sueca, segundo ela, se sentia "incompreendida e não mais segura na política". Taskin também é membro de uma organização fundada por Mehmet Kaplan -- Muçulmanos Suecos pela Paz e Justiça (Svenska muslimer för fred och rättvisa). A organização é mais conhecida por trabalhar pelos direitos dos muçulmanos na Suécia; participar em "Flotilhas para Gaza" e criticar tudo aquilo que ela considera "Islamofóbico" ou alguma atitude do governo desfavorável ao islamismo.

24 de abril: foi reportado que o porta-voz da Juventude Verde em Malmö, Salahaden Raoof, pôde ser visto fazendo a assim chamada saudação Rabia – uma saudação feita com quatro dedos em apoio à Irmandade Muçulmana – ao vivo na TV, filmado durante uma convenção política em Almedalen em 2015. Entretanto, lhe foi permitido permanecer no cargo após ele ter se comprometido "a não fazê-la novamente".

Salahaden Raoof (esquerda) porta-voz da Juventude Verde em Malmö, Suécia, apareceu ao vivo na TV fazendo a saudação Rabia – uma saudação feita com quatro dedos em apoio à Irmandade Muçulmana. Foi permitido que ele permanecesse no cargo após seu comprometimento que "não a fará novamente". Foto da direita: Mohamed Morsi, presidente deposto do Egito e um dos líderes da Irmandade Muçulmana, popularizou a saudação Rabia.

27 de abril: Kamal al Rifai, político do Partido Verde Local de Burlöv anunciou que estava se retirando temporariamente da política – depois de chamar muita atenção por convidar o salafista, Salman al-Ouda, mundialmente famoso, para discursar em um evento em Malmö em homenagem às crianças da Síria. Al-Ouda é conhecido por ter sido o mentor de Osama bin Laden, entre outras coisas. Posteriormente ele se distanciou de bin Laden e agora prega uma "transição pacífica para a sharia".

3 de maio: Mohamed Temsamani do Partido Verde (Solna) também foi identificado como islamista. Veio à tona que ele é atuante em um partido político ligado à Irmandade Muçulmana e que foi visto fazendo a saudação Rabia.

29 de abril: o autor e cronista social Johan Lundberg assinalou no diário Göteborgs-Posten:

"Sobram exemplos de associações e organizações que tem uma agenda islamista, que receberam subsídios e conquistaram os corações de ministros do Partido Verde. De que outra maneira então, é possível explicar a dedicação do Partido Verde ao Islã conservador? Uma possível explicação é a visão comum da política de identidade, crítica aos padrões vigentes e diversidade no sentido da etnicidade, que levou a uma preocupante cegueira no tocante ao extremismo".

Mais Notícias Islâmicas e Multiculturais na Suécia em Abril

1º de abril: Um afegão alegando ser menor de idade foi colocado em uma instituição para jovens, onde estuprou uma menina de 15 anos de idade. O homem veio à Suécia no final do ano passado e requereu a condição de asilado em 14 de dezembro. No dia seguinte ele foi detido por ter estuprado uma menina em um abrigo para jovens com problemas psiquiátricos para onde ele tinha sido enviado. A menina prestou queixa inúmeras vezes que o homem (que mais tarde ficou-se se sabendo tinha pelo menos 19 anos) a estava assediando constrangedoramente. Mesmo assim, certa noite, eles foram deixados a sós na frente da TV. Quando o staff retornou, viu o afegão estuprar a menina que estava em prantos. Ele foi sentenciado a se submeter aos cuidados da psiquiatria forense e subsequente deportação.

4 de abril: uma gigantesca busca policial foi acionada a procura do cidadão iraquiano Ramin Sherzaj, 23, que foi raptado no centro de Gävle. Ele foi arrastado para dentro de um carro, que "cantando pneus" saiu em disparada e sumiu. Pouco depois, cinco iraquianos que vieram para a Suécia no início deste século foram detidos: uma mulher e quatro homens. Duas semanas depois, o corpo de Sherzaj foi localizado. Ao todo sete pessoas foram presas suspeitas de terem alguma ligação com o assassinato.

4 de abril: a poligamia é ilegal segundo a constituição sueca, que garante a igualdade entre os gêneros e totalmente alheia ao sistema jurídico sueco. Ainda assim, de acordo com a revelação do professor de direito Göran Lind, as autoridades suecas ratificaram centenas de casamentos poligâmicos. Homens que vieram com várias esposas para a Suécia tiveram seus casamentos ratificados. Göran Lind ressalta que os tribunais suecos precisam parar de aprovar esses casamentos:

"Isto pode criar problemas enormes, se digamos, um iraquiano com três esposas vier a falecer. Todas têm direito ao espólio? Elas têm direito a dividir a metade que caberia a uma viúva monogâmica ou o espólio deverá ser dividido de outra forma? E como ficam os filhos ou os filhos de casamentos anteriores"?

5 de abril: um somali conhecido como "Muhamed" foi sentenciado a prestar serviços à comunidade por 180 horas por ter estuprado brutalmente uma menina de 12 anos de idade. "Pênis grande é caro", comentou ele durante o estupro. Agora a menina está sendo assediada, ameaçada e submetida a maus-tratos físicos pela família e amigos de Muhamed. O diário local Sundsvalls Tidning entrevistou a menina, que contou ao jornal como se deparou com a família do criminoso em um ponto de ônibus, e como foi subsequentemente espancada por um de seus irmãos:

"Aí apareceu o outro irmão contra o qual obtive uma medida cautelar determinando seu afastamento, achando que ele iria me ajudar a levantar, no entanto, desfechou socos na minha boca. Então apareceu a mãe dele e eu achei que eles iriam embora, aí ela me chutou".

6 de abril: o Gabinete da Auditoria Governamental Sueca, em sua reavaliação anual, criticou o Serviço de Imigração sobre vários aspectos. Membros do gabinete de auditoria registraram em seus relatórios que havia risco de corrupção. Os auditores mostraram descontentamento em relação à falta de documentação sobre diretrizes, claras rotinas de procedimento e o fato de funcionários poderem escolher a quais casos dar andamento – abrindo assim oportunidades para corrupção.

7 de abril: um muçulmano, estudante de medicina, de 20 anos com o nome de Aydin Sevigin, foi processado por planejar se explodir na Suécia em um ataque terrorista. De acordo com o procurador, Sevigin podia ter causado sérios danos. Quando do início do processo em 15 abril, Sevigin parecia impassível quando o procurador leu a passagem sobre como alguém se torna um jihadista fortemente armado. Ele confessou à polícia que queria morrer como mártir. Entre as evidências apresentadas contra ele constam fotos em que se pode ver Sevigin comprando componentes para a fabricação de bombas em uma loja da Ikea.

8 de abril: o Serviço de Imigração divulgou um novo relatório intitulado: "Você é Casado?", que mostra como seus próprios funcionários permitem casamentos infantis. O relatório realça diversos casos em que funcionários não fizeram nenhum tipo de questionamento, apesar de estarem lidando com meninas casadas de 16 a 17 anos de idade.

O Serviço de Imigração emitiu a seguinte nota:

"O Serviço de Imigração tem o dever de investigar; as perguntas sobre o casamento devem ser feitas, independentemente se o menor de idade, casado, citar esta situação como fator para ele ou ela necessitarem ou não da proteção da lei".

O relatório também observa que não há uma visão ou análise abrangente o suficiente em relação ao o que é melhor para o menor de idade. As regras não são obedecidas e os registros enviados aos serviços de assistência social e à polícia não são preenchidos com dados suficientes.

10 de abril: durante muitos anos, o Conselho Nacional Sueco de Prevenção ao Crime (Brottsförebyggande rådet), "BRÅ", alegou que a violência letal na Suécia estava em declínio. Entretanto, o BRÅ deixou de mencionar que esta alegação tinha como base a comparação aos anos de violência recorde de 1989 a 1991. Caso fosse privilegiada a comparação atual em relação aos anos de 1950, quando a Suécia ainda era um país homogêneo, o número de assassinatos e casos de homicídio culposo teria dobrado. Recentemente o BRÅ foi obrigado a admitir que, na realidade, a violência letal de fato aumentou em 2015, quando 112 pessoas foram mortas: 25 a mais do que no ano anterior. O ano de 2016, ao que tudo indica, irá superar esse número – nos primeiros três meses do ano foram registrados 40 assassinatos e 57 tentativas de assassinato na Suécia, de acordo com estatísticas compiladas pela jornalista Elisabeth Höglund.

11 de abril: a Nova Assistência Social (Den Nya Välfärden), um instituto interdisciplinar de estudos, apresentou uma pesquisa de opinião mostrando que 70% dos suecos já acreditam que a imigração está alta demais. Em 2014, somente 45% responderam dessa maneira; em 2015, 58%. A pesquisa também mostrou que a diferença de opinião entre pessoas de ensino superior e operários continuava a diminuir. O maior crescimento de críticos à imigração está concentrada entre os acadêmicos.

11 de abril: a biblioteca em Arvika causou surpresa entre os frequentadores ao oferecer cursos no idioma árabe. Muitos suecos se perguntaram se não seria mais profícuo oferecer cursos em sueco aos imigrantes de língua árabe. A biblioteca, no entanto, não oferece nenhum curso desses. Representantes assinalaram em um comunicado à imprensa:

"Como parte de nosso trabalho em criar pontos de encontro, reforçar a integração e incrementar o conhecimento de outras culturas, povos e idiomas, a Biblioteca de Arvika e a Secretaria da Educação NBV estão patrocinando um curso em árabe na Biblioteca de Arvika".

12 de abril: um árabe de 33 anos de idade e uma turca de 34 foram processados por um brutal assassinato em Malmö no verão de 2015. A vítima, um sueco de meia-idade, permitiu que a mulher se hospedasse em seu apartamento no centro de Malmö. Foi ela própria quem chamou a polícia após o assassinato. No entanto, o promotor acredita que o assassinato ocorreu 24 horas antes e quando a polícia chegou a cena do crime já tinha sido "adulterada". Ambos os suspeitos se declararam inocentes e culparam um ao outro pelo assassinato. Ainda não se sabe qual a motivação do crime.

14 de abril: o cidadão gambiano Baboucar Mboge, 21, foi sentenciado a um ano de prisão por estupro, roubo e crimes de menor gravidade relacionados a entorpecentes. Ele também foi intimado a pagar 125.000 coroas suecas (cerca de US$14.000) à mulher que ele estuprou e assaltou. O estupro ocorreu há quatro anos, mas só depois que Mboge se tonou suspeito de roubo em uma loja de conveniência em Estocolmo é que seu DNA pôde ser relacionado ao estupro. Ao ser interrogado pela polícia, o gambiano alegou que a relação sexual foi consensual, sobre um gramado e se vangloriava sobre "f*** a menina por mais de dez minutos". O promotor não solicitou sua deportação.

14 de abril: muitos muçulmanos receberam indenizações indicadas pelo Ombudsman da Discriminação (Diskrimineringsombudsmannen), "DO", por não terem sido admitidos no emprego em face de sua recusa em saudar as pessoas apertando suas mãos. Porém, a mulher que se recusou a apertar a mão do médico, levando-a a não ser examinada clinicamente não recebeu nenhuma indenização. O Tribunal Municipal de Hässleholm já havia condenado anteriormente o médico e a clínica para a qual ele trabalhava, sentenciando ambos a pagarem 75.000 coroas suecas (cerca de US$8.700) por danos, mas o veredito foi revogado pelo Tribunal de Justiça, que proferiu que o "DO" não conseguiu provar que o exame clínico não realizado foi devido ao fato da mulher não ter apertado a mão do médico.

14 de abril: um cientista de 27 anos da Universidade de Uppsala foi detido, suspeito de vender veneno, munição e narcóticos online. O homem apelidado de "Chemical Ali", é cidadão alemão de descendência turca. Ele foi detido sob suspeita de cometer crimes de tráfico de drogas e se preparava para espalhar veneno (crime qualificado), além de violar a lei sobre munição. Ele também é suspeito de tentativa de extorsão qualificada por ter enviado uma substância venenosa "ao mesmo tempo em que fazia chantagens".

14 de abril: um candidato a asilo sírio foi sentenciado a dois anos de prisão e deportação por ter atacado uma mulher em janeiro em um abrigo para asilados em Leksand. A mulher se trancou em uma toalete, mas o homem de 34 anos conseguiu arrebentar a fechadura, arrastá-la de lá, arrancar suas roupas e estuprá-la. Durante o estupro o homem puxava os cabelos da vítima e a espancava. Ela revidava mordendo seu dedo e ombro. Somente quando ele viu que sua esposa já estava do lado de fora da janela ele parou.

16 de abril: Quando os políticos locais dos subúrbios de Spånga-Tensta de Estocolmo se encontraram com os futuros vizinhos de um programa para abrigar 600 asilados, a temperatura subiu de tal forma que eles mais pareciam uma turba de linchadores. Os cidadãos estavam temerosos em relação ao abrigo para asilados, planejado para ser construído próximo a uma escola: "lutaremos até a última gota de sangue para impedir que esse plano se concretize", assinalou um homem, ovacionado.

Apesar do clima agitado, os políticos não tinham respostas, deixando as pessoas ainda mais desapontadas. Vários gritavam: "Respondam! Respondam nossas perguntas! Por que vocês estão fazendo isso conosco? Que critério vocês adotaram? Estamos colocando em perigo a saúde dos nossos filhos"?

17 de abril: Um campeonato de futebol para "refugiados menores de idade desacompanhados" acabou em pancadaria, envolvendo 40 pessoas brigando com pedaços de madeira e barras de ferro. Ao menos uma pessoa teve que ser hospitalizada. A investigação policial descobriu pelo menos sete suspeitos. "são demandantes e suspeitos, tudo misturado", segundo assinalou a policial Cecilia Modin ao jornal local, Länstidningen. Alguns dias depois, o município resolveu não hospedar mais nenhum campeonato de futebol para "desacompanhados".

23 de abril: o imigrante Ali Al-Ali, do Oriente Médio, de início conseguiu se esquivar de ser sentenciado por sequestro e roubo de um motorista de táxi quando tinha, de acordo com registros públicos, apenas 14 anos de idade quando os crimes foram cometidos. Seus dois cúmplices, que foram condenados a seis meses em um abrigo para menores infratores, mas escaparam de serem deportados, declararam ao tribunal que Ali Al-Ali tinha mais de 18 anos e que vivia se vangloriando de como ele tinha engambelado as autoridades suecas. Dois dias depois da sentença Ali Al-Ali foi detido em um shopping center em Malmö. Naquela época ele estava acompanhado por dois jovens que carregavam armas de fogo, facas e uma balaclava. Os outros dois jovens se evadiram do local, mas Ali Al-Ali, suspeito de planejar um assalto a mão armada, foi preso.

23 de abril: o editor de notícias políticas do jornal local Eskilstuna-Kuriren, Alex Voronov publicou uma foto de si mesmo fazendo a saudação Rabia – quatro dedos em riste como saudação à Irmandade Muçulmana (MB em inglês) – no Twitter. "Eu me encontrei com diversos políticos da Irmandade Muçulmana que agora estão atrás das grades após passarem por julgamentos fraudulentos", tuitou Voronov, "e isto obviamente me preocupa".

O jornal não quis comentar a mensagem do editor.

23 de abril: um candidato a asilo de Hagfors foi detido, suspeito de, entre outras coisas, desferir pontapés na cabeça da esposa. De acordo com a polícia o homem ficou furioso porque ela estava estudando sueco. Foi necessário a presença de um intérprete em Dari, o idioma falado no Afeganistão.

28 de abril: após refutar bruscamente uma proposta dos Democratas Suecos (DS) para acabar com a suspensão do controle de fronteiras da Suécia, que já dura duas semanas, o governo repentinamente anunciou que o controle de fronteiras não será mais suspenso. A decisão foi bem recebida pelos DS, cujos membros são contrários à imigração e afirmam categoricamente que o problema do controle de fronteiras está sendo tratado de maneira escandalosa.

Kent Ekeroth, um dos representantes do DS e membro da Comissão de Justiça do parlamento, ressaltou:

"Chega a ser cômico a maneira pela qual os demais partidos, vira e mexe, votam "não" a nossa moção de remover o período de espera no tocante às checagens de identidade, mas é bom que eles já estejam seguindo a nossa iniciativa, tim-tim por tim-tim, além de copiar as nossas sugestões".

27 de abril: um somali de 34 anos que estuprou uma mulher em Gotemburgo no ano passado foi sentenciado a cinco anos e meio de prisão. O homem cobriu a cabeça da mulher com um capuz escuro e com uma faca encostada em seu pescoço ameaçou matá-la. Em seguida ele arrancou as roupas dela e a estuprou. Depois ele roubou o celular dela e disse: "lhe darei 10.000 coroas suecas se você vier para casa comigo para que eu possa te f***r o dia inteiro". Apesar do tribunal afirmar que seus crimes são de "natureza grave", o homem não será deportado.

30 de abril: A mesquita do Imã Abo Raad, reconhecido como maior "líder militante islamista na Suécia", foi vítima de um ataque com uma bomba incendiária. A mesquita islamista, localizada em Gävle, vem sendo destacada pelo jornal local Gefle Dagblad, em uma série de artigos iniciados em outono de 2015. Em 30 de março, também veio à tona que a editora-chefe do Gefle Dagblad's Anna Gullberg, tinha recebido ameaças de morte de um parente próximo de Abo Raad. "Trata-se de uma ameaça direta contra a liberdade de imprensa", ressaltou Gullberg. "Obviamente as ameaças são consequência dos artigos publicados por Gefle Dagblad".

O Gatestone Institute concorda com os artigos escritos por Ingrid Carlqvist para este instituto até a data de hoje, contudo o Gatestone não conta mais com ela em seu quadro de colaboradores.

Tópicos Relacionados:  Suécia
Artigos Recentes de
receba as notícias mais recentes por e-mail: cadastre-se no mailing list gratuito do gatestone institute.

pt