Últimas Análises e Comentários

A Aliança Russo/Turca Será Danosa ao Ocidente

por Burak Bekdil  •  4 de Dezembro de 2022

Os céus da Turquia continuam abertos para as companhias aéreas russas e as portas permanecem abertas para centenas de milhares de russos e o dinheiro deles. As exportações da Turquia para a Rússia estão decolando. Foto: presidente russo Vladimir Putin com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan na cúpula dos líderes da Organização de Cooperação de Xangai em Samarcanda, Uzbequistão, 16 de setembro de 2022. (Foto: Alexandr Demyanchuk/Sputnik/AFP via Getty Images)

Caso eles tivessem se encontrado na qualidade de presidentes de outros países, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan e o presidente russo Vladimir Putin provavelmente iriam se odiar. Historicamente, os islamistas turcos odiaram tanto a Rússia czarista quanto a soviética. Na mesma linha, os russos jamais gostaram dos turcos. Hoje, porém, Erdogan, com um pé na OTAN, arrasta a asa pró-Rússia de um jeito nunca visto antes. Qual é o segredo desse prepotente casamento?

A Turquia se recusou em aderir às sanções do Ocidente contra a Rússia em decorrência da situação na Ucrânia, jogando assim uma tábua de salvação para Putin. Os céus da Turquia continuam abertos para as companhias aéreas russas e as portas permanecem abertas para centenas de milhares de russos e o dinheiro deles. As exportações da Turquia para a Rússia estão decolando. Somente em julho, as exportações para a Rússia dispararam vertiginosamente: 75% em relação ao ano passado.

Continue lendo o artigo

O Jogo Duplo do Catar: Financiar Islamistas e Fingir ser Aliado dos Estados Unidos

por Khaled Abu Toameh  •  3 de Dezembro de 2022

Os líderes do Hamas estão usando o Catar como plataforma para o chamamento para a destruição de Israel. No entanto, não parece que os governantes do Catar nem seus aliados no Ocidente, incluindo os EUA se incomodam com isso. Estamos falando daquele mesmo Catar cujos líderes afirmam que condenam quaisquer atos de terrorismo e de extremismo violento. Foto: Ismail Haniyeh, chefe da divisão política do Hamas, discursa em um comício em Doha, Catar, em 15 de maio de 2021. (Foto: Karim Jaafar/AFP via Getty Images)

O recente encontro ocorrido em Doha, no Catar, entre o grupo palestino Hamas e o Talibã do Afeganistão foi mais um exemplo do jogo duplo do Catar em abrigar e patrocinar extremistas islâmicos e concomitantemente fazer de conta ser aliado dos EUA e de outros países do Ocidente.

O encontro que teve lugar em 26 de outubro, contou com a presença de Ismail Haniyeh, líder do Hamas que, juntamente com outras autoridades do grupo islamista, foi se relocando nos últimos anos da Faixa de Gaza para o Catar.

No ano passado, Haniyeh, agora sediado em Doha, de pronto telefonou para os líderes do Talibã para " felicitá-los" com respeito à "derrota da ocupação americana no Afeganistão". Haniyeh salientou que o Hamas vê a retirada dos EUA do Afeganistão como prenúncio da eliminação de "todas as forças da injustiça", em especial Israel.

Continue lendo o artigo

Laços Perigosos: Rússia e os Mulás do Irã

por Majid Rafizadeh  •  26 de Novembro de 2022 13:41

(Imagem: iStock)

O regime iraniano, impunemente, está fornecendo armas e tropas para a Rússia. O que os mulás que governam o Irã estão recebendo em troca?

Em primeiro lugar, o establishment teocrático do Irã corre contra o tempo para cruzar o limiar nuclear a fim de se tornar um país abastecido com armas nucleares. O Irã quer que a Rússia lhe dê uma força e acelere seu programa nuclear. Em 24 de outubro, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky alertou:

"em oito meses de guerra total, a Rússia lançou aproximadamente 4.500 mísseis contra nós. E o estoque de mísseis está diminuindo. Portanto, a Rússia saiu à procura de armas com preços competitivos em outros países para continuar sua aterrorizante guerra. Encontrou-as no Irã."

Zelenski acrescentou:

Continue lendo o artigo

França Degringola para a Barbárie e o Caos

por Guy Millière  •  20 de Novembro de 2022

Recentemente, Lola, uma francesinha de 12 anos, foi estuprada e assassinada em Paris por uma imigrante ilegal da Argélia. Na França, os imigrantes ilegais cometem cerca da metade dos crimes. Assassinatos hediondos como os de Lola ocorrem quase todos os dias. O psiquiatra Maurice Berger relata que crimes de violência gratuita com lesão corporal ou morte acontecem, em média, a cada dois minutos na França. A França registra mais de duzentos estupros por dia. Foto: manifestantes com retratos de Lola com os dizeres "Lola poderia ter sido nossa irmã caçula", Paris, 20 de outubro de 2022. (Foto: Emmanuel Dunand/AFP via Getty Images)

15 de outubro. O corpo de uma menina de 12 anos foi encontrado numa grande caixa de plástico em uma calçada na região leste de Paris. O nome dela era Lola. Ela era filha dos zeladores do prédio onde ocorreu o assassinato.

Testemunhas, impressões digitais e imagens de câmeras de segurança rapidamente levaram a polícia a prender uma mulher. Ela confessou o crime, acrescentando que não sentia nenhum remorso. Os detalhes relatados por ela, confirmados pela autópsia são os seguintes: ela amordaçou Lola com uma fita adesiva, tirou a roupa dela, a amarrou a uma cadeira, a estuprou com objetos, cortou parcialmente sua garganta, colocou o sangue em uma garrafa e o tomou, fumou um cigarro, depois terminou de cortar a garganta de Lola e a decapitou. A mulher ainda esfaqueou o cadáver várias vezes, o colocou em uma caixa de plástico e o levou para a rua.

Continue lendo o artigo

Palestinos Votam em Terroristas e Depois Dizem que os Israelenses são 'Extremistas'

por Bassam Tawil  •  15 de Novembro de 2022

Os palestinos, que insistem em reclamar da ascensão dos partidos de direita nas eleições israelenses, são os que alçaram o grupo terrorista Hamas ao poder. Em 2006, a maioria dos palestinos votou no Hamas, cujo estatuto clama abertamente a eliminação de Israel. Foto: Ismail Haniyeh, líder do grupo terrorista Hamas, vota nas eleições legislativas da Autoridade Nacional Palestina em 25 de janeiro de 2006 em Gaza City. (Foto: Abid Katib/Getty Images)

Já antes de serem anunciados os resultados das últimas eleições gerais em Israel, líderes e autoridades palestinas, segundo consta, expressaram profunda preocupação e receio de que o resultado da apuração das urnas conduzisse a um aumento das tensões e violência entre os palestinos e os israelenses.

Mohammad Shtayyeh, primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), teria dito que os resultados da eleição "confirmam" que os palestinos não têm em Israel um parceiro para a paz.

Os palestinos, que insistem em reclamar da ascensão dos partidos de direita nas eleições israelenses, são os que alçaram o grupo terrorista Hamas ao poder.

Continue lendo o artigo

Palestinos: Por que são ignorados os ataques contra os cristãos?

por Khaled Abu Toameh  •  6 de Novembro de 2022

Uma sequência ininterrupta de violentos incidentes em Belém e nas cidades circunvizinhas de Beit Jala e Beit Sahour deixaram os cristãos apreensivos quanto à sua segurança e quanto ao seu futuro sob o governo da Autoridade Nacional Palestina. Na semana passada, dezenas de muçulmanos atacaram a Forefathers Orthodox Church em Beit Sahour com pedras, ferindo inúmeros cristãos. Foto: Beit Sahour. Imagem: Iseidgeo/Wikimedia Commons)

Uma sequência ininterrupta de violentos incidentes em Belém, cidade natal de Jesus e nas cidades circunvizinhas de Beit Jala e Beit Sahour deixaram os cristãos apreensivos quanto à sua segurança e quanto ao seu futuro sob o governo da Autoridade Nacional Palestina (ANP).

Muitos cristãos que vivem nessas comunidades estão reclamando que a Autoridade Nacional Palestina deixa muito a desejar quanto à punição daqueles que atacam igrejas e empresas de propriedade de cristãos. Os perpetradores são muçulmanos que formam a maioria da população na região de Belém.

No início do corrente ano, o pastor evangélico palestino Johnny Shahwan foi preso pelas forças de segurança da ANP acusado de "promover a normalização" com Israel.

A prisão ocorreu porque Shahwan, fundador e presidente do conselho de Beit Al Liqa (Casa do Encontro) em Beit Jala, apareceu em uma foto ao lado do rabino Yehuda Glick, ex-membro do parlamento israelense, Knesset.

Continue lendo o artigo

O Engodo da Locupletação da Energia Verde
Lucros "Verdes" só Conseguem Aumentar se as Liberdades dos Cidadãos Despencarem

por J.B. Shurk  •  1 de Novembro de 2022

Os veículos elétricos são tão poderosos quanto os similares com motores de combustão interna? As energias eólica e solar têm condições de realmente de fornecer às nações redes elétricas confiáveis e robustas o suficiente e garantir que não haja constantes apagões? Há como fabricar plásticos, óleo de calefação e a maioria dos materiais sintéticos encontrados nos lares num passe de mágica, sem a utilização do petróleo? Foto: um carro elétrico em um ponto de recarga em Berlim, Alemanha. (Foto de Carsten Koall/Getty Images)

Nos livres mercados, tanto as commodities compradas quanto as vendidas têm valor de mercado. Quando um comprador e um vendedor chegam a um acordo quanto ao preço de um produto, há um "denominador comum". O valor de qualquer matéria-prima encontrada "in natura" é proporcional à sua acessibilidade. Quanto maior a disponibilidade e a facilidade de obtenção, menor será o seu valor. Um vendedor que vende rochas comuns não tem como se sustentar se o que ele vende é encontrado livremente em qualquer lugar. Se ele transacionar com ouro ou prata, diamantes ou rubis, no entanto, "rochas" difíceis de se achar, aí elas valem uma pequena fortuna. Se ao menos houvesse um jeito de transformar rochas comuns em commodities de valor!

Continue lendo o artigo

A Iniciativa Belt and Road da China Comunista está Destruindo o Meio Ambiente

por Judith Bergman  •  30 de Outubro de 2022

Os danos ambientais que a iniciativa Belt and Road da China do Partido Comunista Chinês estão causando são incomensuráveis. Recentemente o governo de Serra Leoa vendeu para a China 250 acres de floresta tropical protegida e regiões a beira-mar, redutos de ecoturismo e de raras espécies marinhas ameaçadas de extinção. Foto: Tokeh Beach em Serra Leoa, próximo do Parque Nacional Western Area Peninsula, parte da zona vendida para a China, transação que os críticos classificam de "catastrófico desastre humano e ecológico". (Foto: Issouf Sanogo/AFP/Getty Images)

Os danos ambientais que a iniciativa Belt and Road da China (BRI) do Partido Comunista Chinês são incomensuráveis . Segundo o Professor William Laurance da James Cook University em Cairns, Austrália:

"Em praticamente todos os continentes ao redor do planeta, a China está enfronhada numa impressionante diversidade de extração de recursos, fontes de energia, projetos agrícolas e de infraestrutura, estradas, ferrovias, hidrelétricas, mineração, que estão causando danos nunca vistos aos ecossistemas e à biodiversidade."

Continue lendo o artigo

O Mito da Limpeza

por Daniel Greenfield  •  26 de Outubro de 2022

A energia limpa depende de gigantescas jazidas de minerais portadoras de recursos de terras raras administradas pela China comunista que envenenam tudo ao seu redor. As turbinas eólicas exigem enormes quantidades de madeira de balsa cuja extração está desmatando a Amazônia. Nem as turbinas nem os painéis solares são reciclados se apresentarem algum defeito. Eles acabam indo para aterros sanitários e viram lixo tóxico. Respirar elementos de fibra de vidro de turbinas eólicas desconectadas ou beber água contaminada com metais pesados dos painéis solares constituem um gravíssimo risco à saúde. Foto: Turbinas eólicas em San Gorgonio Pass, perto de Palm Springs, Califórnia. (Foto: Lee Celano/AFP via Getty Images)

"Limpo", assim como "inteligente", virou o pré-requisito para qualquer tipo de tecnologia. Ambos são mitos.

A tecnologia inteligente nada mais é do que a tecnologia de monitoramento. Ela não é mais inteligente devido às suas qualidades inerentes, mas porque envia e recebe dados que a deixam "mais inteligente" na manipulação dos usuários. O lado inteligente da tecnologia inteligente vem dos seres humanos. O mesmo acontece com o lado estúpido quando as pessoas sacrificam a privacidade e a independência em troca dos benefícios da tecnologia que se adéqua a elas.

A energia limpa é um mito ainda maior. O Inflation Increase Act outorga outro fluxo de bilhões para as formas ineficientes de geração de energia que o governo vem subsidiando há mais de 50 anos porque alguma agência de publicidade da Madison Avenue as classificou de "limpas".

Continue lendo o artigo

Como as Civilizações Serão Identificadas

por Giulio Meotti  •  23 de Outubro de 2022

Mais da metade do crescimento da população global projetado até 2050 se concentrará em oito países apenas, primordialmente na África, de acordo com a revista The Economist, são eles: Congo, Egito, Etiópia, Índia, Nigéria, Paquistão, Filipinas e Tanzânia. A Nigéria terá mais habitantes do que a Europa e os Estados Unidos. Foto: soldados espanhóis e membros da Guardia Civil patrulham a cerca da fronteira do enclave espanhol de Ceuta, em 18 de maio de 2021, mais adiante do outro lado da cerca, no Marrocos, centenas de migrantes africanos estacionados procuram atravessar a fronteira. (Foto: Antonio Sempere/AFP via Getty Images)

Menos bebês nascerão em toda a Europa do que só na Nigéria.

"Pelo andar da carruagem, na Europa, a população despencará pela metade antes de 2070, o continente correrá o risco de perder 400 milhões de habitantes até 2100", observou James Pomeroy, economista do banco chinês HSBC.

O crescimento da população mundial já atingiu seu índice mais baixo desde 1950 e a população da Europa continuará encolhendo até ao final do século, segundo o Financial Times, ao se referir ao relatório "Projeções da População Mundial das Nações Unidas".

A pergunta que não quer calar é: onde essas discrepâncias irão acontecer?

Nos próximos quatro minutos irão nascer mil crianças: 172 na Índia, 103 na China, 57 na Nigéria, 47 no Paquistão, em toda a Europa, no entanto, somente 52.

Continue lendo o artigo

Terroristas Palestinos de Mahmoud Abbas
Paz Significa Matar Mais Judeus

por Bassam Tawil  •  10 de Outubro de 2022

Quando Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Nacional Palestina, discursar na Assembleia Geral da ONU em Nova York no final do corrente mês, ele não dirá ao auditório que membros da facção Fatah,ora no governo, estão desvairadamente realizando, praticamente todos os dias, ataques terroristas contra ativistas palestinos e jornalistas na Cisjordânia, bem como contra israelenses. Na foto: Abbas discursando na ONU em 27 de setembro de 2018 na cidade de Nova Iorque. (Foto: Stephanie Keith/Getty Images)

Ao mesmo tempo que o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, se prepara para discursar na Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque no final do corrente mês, surgem múltiplos indícios de que seus correligionários estão participando de ataques terroristas contra Israel.

A exemplo do que ele fez no passado, Abbas, sem a menor sombra de dúvida, irá usar novamente o pódio da ONU para afirmar sua avidez em fazer a paz com Israel e a sua oposição ao terrorismo e à violência. Desnecessário dizer que também se espera que ele se aproveite da plataforma internacional para vomitar mais incitamento, mentiras e libelos de sangue contra Israel e contra os judeus.

Continue lendo o artigo

Erdogan Ameaça a Grécia

por Uzay Bulut  •  2 de Outubro de 2022

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, está subindo o tom das ameaças de invadir a Grécia. Ao se referir ao ataque genocida da Turquia contra gregos e armênios na cidade de Esmirna em setembro de 1922, ele advertiu, no final do corrente mês, passados exatamente 100 anos: "só temos uma frase para a Grécia: não esqueça Izmir (Esmirna)... faremos o que for preciso, quando chegar a hora certa." Foto: milhares de gregos locais, fugindo do exército turco de Mustafa Kemal Ataturk, tentam escapar de navio no porto de Esmirna em setembro de 1922. (Foto: Topical Press Agency/Getty Images)

O presidente de um país membro da OTAN, Recep Tayyip Erdogan da Turquia, está subindo o tom das ameaças de invadir a Grécia, outro membro da OTAN. Em 27 de setembro, ele salientou:

"As armas armazenadas (pela Grécia) na Trácia Ocidental e nas ilhas não fazem nenhum sentido para nós porque nosso poder de fogo está muito acima disto, mas lembramos que isso significa uma disfarçada ocupação (da Turquia pela Grécia)..."

"Queremos lembrar à Grécia o seguinte: caia na real. Vocês acham que o apoio dos EUA e da Europa (à Grécia) irá salvá-los? Não vai não. É pura perda de tempo, nada além disso."

Erdogan vem fazendo declarações hostis do mesmo naipe há meses. Em 4 de setembro, ele voltou a atacar a Grécia em um discurso público:

Continue lendo o artigo

O Antídoto para a Tirania é a Liberdade, Não é Democracia nem Governo Internacional

por J.B. Shurk  •  24 de Setembro de 2022

(Imagem: iStock)

O linguajar político manipula o debate político. Os que são contrários ao aborto que se autodenominam "pró-vida", semanticamente rotulam os proponentes do aborto de "pró-morte". Os defensores do aborto que se autodenominam "pró-escolha", semanticamente rotularam qualquer oposição de "anti-escolha". Afinal de contas, quem quer ser "pró-morte" ou "anti-escolha"? Essa é a natureza da política. Palavras são armas: quando usadas com habilidade, moldam o campo de batalha das nossas mentes.

Assim sendo, o que significam as palavras de líderes ocidentais de hoje ao falarem tanto sobre democracia e tão pouco sobre direitos individuais? Ou quando pregam as virtudes das instituições internacionais e ao mesmo tempo demonizam o nacionalismo como sendo xenófobo e perigoso? Isso significa que a soberania nacional e os direitos naturais e invioláveis estão sob ataque direto em todo o Ocidente.

Continue lendo o artigo

Morte aos "Blasfemos" no Paquistão

por Raymond Ibrahim  •  11 de Setembro de 2022

Em 4 de julho de 2022, um mecânico cristão que ficou preso durante os últimos cinco anos aguardando julgamento sob a falsa acusação de "blasfêmia" por ter hipoteticamente insultado o profeta muçulmano Maomé, foi condenado à morte por enforcamento em um tribunal paquistanês. (Imagem: iStock)

Em 4 de julho de 2022, um mecânico cristão que ficou preso durante os últimos cinco anos aguardando julgamento sob a falsa acusação de "blasfêmia" por ter hipoteticamente insultado o profeta muçulmano Maomé, foi condenado à morte por enforcamento em um tribunal paquistanês.

Cinco anos antes, em 5 de junho de 2017, Ashfaq Masih, de 34 anos, entrou numa briga com Muhammad Naveen, um concorrente que havia estabelecido uma oficina mecânica perto da de Masih. Masih se declarou inocente e afirmou que Muhammad "estava com inveja porque meu negócio estava indo melhor que o dele" e, após a briga, ele "me ameaçou com terríveis consequências". No dia seguinte, 6 de junho, de acordo com Mash:

Continue lendo o artigo

'Iremos Atacá-los Onde Quer que Vocês Estejam': O Massacre de Munique e Seus Desdobramentos

por Richard Kemp  •  10 de Setembro de 2022

No momento estamos vivenciando mais um exemplo: a ameaça nuclear iraniana... Só que, neste caso, não dar ouvidos às advertências dos israelenses terá consequências inimagináveis e de longo alcance. Foto: um helicóptero do exército alemão destruído pelo fogo em 7 de setembro de 1972 na Base Aérea de Fürstenfeldbruck, depois que terroristas palestinos o explodiram com granadas de mão no dia anterior, eles também assassinaram nove atletas olímpicos israelenses que mantinham como reféns. (Foto: EPU/AFP via Getty Images)

Há cinquenta anos, na semana dos dias 5 e 6 de setembro de 1972, o mundo assistiu horrorizado judeus sendo, de novo, brutalmente assassinados em solo alemão, nas Olimpíadas de Munique. Oito terroristas da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), usando o codinome "Setembro Negro", torturaram e assassinaram 11 atletas israelenses, castrando um deles enquanto ele estava morrendo na frente de seus companheiros de equipe. Eles invadiram o alojamento dos atletas, mataram dois de imediato e mantiveram o restante como reféns, exigindo a libertação de 234 terroristas presos em Israel. A primeira-ministra Golda Meir, signatária da declaração de independência de Israel em 1948, se recusou a negociar com eles, tachando as exigências de chantagem. Mais tarde, ela ressaltou: "aprendemos uma lição amarga. É possível salvar uma vida de pronto, colocando assim mais vidas em perigo. O terrorismo tem que ser eliminado".

Continue lendo o artigo